Teoria dos Conjuntos – Nota Histórica

quarta-feira, 28 fevereiro, 2007 at 6:54 pm 3 comentários

A teoria dos conjuntos foi criada por G. Cantor (1845 – 1918), com uma série de artigos publicados a partir de 1874. Embora russo de nascimento, Cantor fez carreira na Alemanha, para onde sua família se mudara quando ele era criança. Depois de doutorar-se na Universidade de Berlim, passou a trabalhar na Universidade de Halle, onde ficaria até o fim de sua vida acadêmica.

Por volta de 1870, quando estudava o problema da representação das funções reais por meio de séries trigonométricas, sua atenção se voltou para uma questão com a qual seu espírito tinha uma afinidade natural muito grande: a natureza do infinito. Esse foi o ponto de partida para a criação da teoria dos conjuntos (além de outras pedreiras algébricas como essa, essa e o Teorema de Cantor–Bernstein–Schroeder).

Além de tudo, os trbalhos de Cantor sobre a teoria dos conjuntos exigiram uma boa dose de coragem científica. De fato, ao estender a idéia de “cardinal”(*) para os conjuntos infinitos, Cantor estava considerando a infinitude destes como algo efetivamente atual e não apenas potencial, como se aceitava até então.

O grande mérito de Cantor foi perceber a existência de uma hierarquia para os cardinais transfinitos. Impressionante descorberta que depois eu escreverei mais em um próximo post.

As conseqüencias de suas descobertas são surpreendentes e quase inacreditáveis e contraria, por exemplo, a idéia de que o todo é maior do que a soma das partes (!).

Falo mais depois. Por ora, Visitem os links e se deliciem com as maravilhas da matemática.

Abs.

———————–

(*) Diz que dis conjuntos têm o mesmo “cardinal” ou a mesma “cardinalidade” se seus elemtnos podem ser postos em correspondência biunívoca. Atentem-se para esse conceito de cardinalidade, pois usaremos bastante quando estdarmos os Bancos de Dados mais a fundo

Entry filed under: Curiosidades. Tags: .

Notas de aula – Algoritmos – Aulas 01, 02 e 03 Lista de Exercícios 01 – Parte 01 – Álgebra

3 Comentários Add your own

  • 1. karen  |  quinta-feira, 17 abril, 2008 às 6:34 pm

    Oie, gostaria que voce me mandasse mais sobre: O nascimento da teoris dos conjuntos.
    Porque estou fazendo um trabalho de escola, e gostei muito de uma parte que eu já estive lendo em seu site e gostaria de me aprofundar mais sobre esse assunto que me consta ser muito interessante…
    atenciosamente…

    obrigada karen

    Curtir

    Responder
  • 2. antonio cordeiro da silva junior  |  sábado, 13 setembro, 2008 às 9:41 pm

    oi gostaria que voçê me manda-se formula de como compreender e entender algaritmo………me mande tambem exercicios é respondedos…
    grato antonio…….

    Curtir

    Responder
  • 3. antonio cordeiro da silva junior  |  sábado, 13 setembro, 2008 às 9:43 pm

    oi gostaria que voçê me mandasse formula de como compreender e entender algoritmo………me mande tambem exercicios e respondidos…
    grato antonio…….

    Curtir

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Follow Computador de papel: o conteúdo da forma on WordPress.com

Feeds

direto do Twitter

O Computador de Papel

O computador de papel nada mais é do que a tentativa de "humanizar" o computador, trazê-lo para a fantasia lúdica da realidade, fazê-lo compreendido pelos milhares que o usam, mas não o entendem. Nasceu de minhas viagens intelectuais defronte da tela de fósforo um dia em que ele retrucou-me: decifra-me ou te devoro. Para não ser devorado, ousei decifrá-lo. É também onde posto minhas aulas, meus trabalhos, minhas impressões de um pouco de nada sobre coisa nenhuma. É o local onde falo das minhas paixões, entre elas, a música, o cinema, a TI e a ciência. É um espaço de discussão sobre a realidade do computador, sua influência, seus avanços, o exercício do óbvio que é mostrar a sua importância no e para o mundo. Tem o estilo de seu criador, acelerado, com um tom sempre professoral, tresloucado, por vezes verborrágico, insano, nevrálgico, sem arroubos literários, atônito e contemplativo diante da realidade, apaixonado, livre, feito para mostrar que a TI é antes de tudo, feita por gente!

Estatísticas do blog

  • 118,174 cliques e contando...

Agenda de posts

fevereiro 2007
S T Q Q S S D
    mar »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728  

%d blogueiros gostam disto: